Buscar
  • CCJ

Exportações de calçados no Brasil

Atualizado: Ago 23

Uma significativa receita de US$ 967 milhões em 2019

Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que o ano de 2019 encerrou com o embarque de 114,55 milhões de pares, o que gerou uma receita de US$ 967 milhões. Os números representam uma queda de 0,9% em faturamento e um incremento de 0,9% em volume no comparativo com 2018. Segregando apenas o último mês do ano, foram embarcados 10,34 milhões de pares por US$ 80,73 milhões, quedas de 21% em volume e de 17,2% em receita em relação ao mês correspondente de 2018.

Segundo o presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, o resultado geral apontou para uma forte influência do câmbio no período. Com o dólar cerca de 10% mais valorizado do que no ano anterior, os calçadistas conseguiram formar preços mais competitivos no mercado internacional. “Se convertermos para Real, a exportação de 2019 foi 7% superior a de 2018”, explica.

O resultado do ano também teve a influência do mercado norte-americano, que importou mais calçados brasileiros para fugir das sobretaxas aplicadas ao calçado chinês em função da guerra comercial instalada entre Estados Unidos e China. Em 2019, o principal destino do calçado brasileiro no exterior importou 11,9 milhões de pares por US$ 197,5 milhões, incrementos de 10,5% e de 18,4%, respectivamente, ante 2018.


Os 3 maiores exportadores brasileiros


O maior exportador de calçados do ano foi o Rio Grande do Sul, de onde partiram 30,64 milhões de pares, que geraram US$ 444,7 milhões, resultados superiores tanto em volume (12,7%) quanto em receita (3,8%) em relação a 2018.


O segundo exportador do ano, em receita, foi o Ceará. Nos 12 meses, as fábricas cearenses exportaram 38,44 milhões de pares por US$ 232 milhões, quedas tanto em volume (-6,2%) quanto em receita (-7%) em relação a 2018.


A terceira principal origem das exportações de calçados do ano foi São Paulo, de onde foram embarcados 7,56 milhões de pares por US$ 103 milhões, incremento de 6,8% em volume e queda de 0,7% em receita na relação com o ano anterior.


Quais os destinos dos calçados produzidos no Brasil?









História da indústria de Calçados Brasileira


A indústria calçadista brasileira iniciou suas atividades nas últimas décadas do século XIX, especialmente após a Guerra do Paraguai. Em sua formação foi decisiva a contribuição dos imigrantes alemães e italianos estabelecidos no sul e no sudeste do país.

A chegada dos imigrantes alemães, instalados no Vale do Rio dos Sinos, em 1824, é considerada o capítulo inicial da história. Hábeis no artesanato de couro, os imigrantes começaram então a produzir em escala industrial seus calçados em meio a outros produtos, em especial arreios de montaria para o exército.


Outro capítulo importante se desdobra em São Paulo, por volta de 1850, com a chegada de imigrantes italianos ao oeste paulista, que aproveitaram a expansão do café e fixam moradia em Franca, logo desenvolvendo sua habilidade na produção calçadista.


A maior concentração de curtumes ocorreu entretanto na região do Vale dos Sinos (RS). Outra região de destaque da indústria foi a da cidade de Franca (SP). Em ambos os locais, muitos curtumes aproveitavam a grande oferta de matéria-prima, o couro cru.


Os avanços tecnológicos importados da Europa no final do século XIX, transformaram a produção de calçados, que sofreria, contudo, uma transição, passando de um empreendimento basicamente artesanal para uma atividade fabril.



Referências

https://www.investe.sp.gov.br/noticia/exportacoes-de-calcados-somaram-us-967-milhoes-em-2019/. Acesso em 18/08/20. https://www.euqueroinvestir.com/exportacoes-de-calcados-geram-us-967-milhoes-em-2019-informa-associacao/ - Acesso em 18/08/20.

https://www.fazcomex.com.br/blog/exportacao-de-calcados-saiba-mais/ - Acesso em 17/08/20.


38 visualizações
  • FB_icon-icons.com_65484
  • instagram_f_icon-icons.com_65485

© 2020 Desenvolvido para CCJ - Carvalho Consultoria Jurídica